Regras para a aposentadoria por idade: atualidades e reforma da previdência

A aposentadoria é um momento sonhado por muitas pessoas, que passam anos de sua vida trabalhando e contribuindo, para um dia poder ter seu precioso descanso. Veja como funcionam as regras para a aposentadoria por idade e o que pode mudar com a reforma da previdência.

Quais são as regras para a aposentadoria por idade nos dias atuais?

Trabalhadores Urbanos

  1. Mulheres: o mínimo de idade necessário para a aposentadoria é 60 anos, além disso, é preciso ao menos 180 anos de trabalho (equivalente a 15 anos de contribuição).
  2. Homens: o mínimo de idade necessário para a aposentadoria é de 65 anos, necessitando de no mínimo 15 anos contribuindo.

Segurados Especiais

A classe especial de trabalhadores é classificada entre agricultores familiares, pescadores artesanais e indígenas. Nestes casos, o homem pode se aposentar aos 60 anos e a mulher aos 55. Obs.: Em caso de não comprovação do tempo mínimo necessário para o segurado especial, o empregado poderá solicitar o benefício com a mesma idade do trabalhador urbano, unindo tempo de trabalho como segurado especial ao tempo de trabalhador urbano.

Documentos necessários para a aposentadoria por idade

Segundo o INSS, é preciso ter os seguintes documentos em mãos para poder se aposentar:

  • Documento oficial com foto;
  • número do CPF;
  • carteira de trabalho, carnê de contribuição e outros documentos que confirmem a veracidade do pagamento do INSS;
  • no caso do segurado especial, deve-se apresentar os documentos que comprovem a situação, como: declaração do sindicato, contratos de arrendamento, documentos da época em que conste a sua ocupação, etc. Você pode obter mais informações clicando aqui;
  • Você pode ver aqui, no site oficial do INSS, os documentos necessários para comprovação de atividade.

O que mais preciso saber da aposentadoria por idade?

  • Carência reduzida: o mínimo de tempo exigido pode ser diferenciado para quem começou sua contribuição para o INSS até 24/07/1991. tempo mínimo exigido pode ser diferente para quem começou a contribuir para o INSS até 24/07/1991. [Saiba mais];
  • atividade do segurado especial: para o segurado especial se aposentar por idade, a falta de documentos em intervalos não superiores ao período de 3 anos não prejudicará o reconhecimento do direito, independente de apresentação de declaração do sindicato dos trabalhadores rurais, de sindicato dos pescadores ou colônia de pescadores;
  • desistência: a aposentadoria pode ser cancelada se o titular solicitar, desde que não tenha recebido o primeiro pagamento, nem sacado o PIS/FGTS por motivo de aposentadoria;
  • aposentado que continuar a trabalhar: o beneficiado que voltar à trabalhar precisará contribuir para a Previdência, de acordo com sua categoria de segurado e também sua faixa de salário. Deste modo, o empregado pode ter direito a: salário-família, salário maternidade, além da reabilitação profissional (se a perícia médica recomendar);
  • alguns aposentados por invalidez têm o direito de um adicional de 25%, por necessitar da assistência de terceiros;
  • é possível escolher um procurador para fazer o requerimento em seu lugar, ou seja, você pode autorizar alguém para agir em seu nome e assinar documentos, caso você não possa estar presente.

“Na aposentadoria por idade, o aposentado recebe 70% da média salarial, mais 1 ponto percentual para cada ano de contribuição… o cálculo é feito em cima da média dos 80% maiores salários desde 1994.

— UOL

Como ficará se a reforma da previdência for aprovada?

Regras para a aposentadoria por idade
Regras para a aposentadoria por idade
  1. Mulheres: será necessário ter 62 anos de idade e ao menos 15 anos de contribuição.
  2. Homens: precisará ter 65 anos de idade e também 15 anos de contribuição.

“Após os 15 anos de contribuição, o trabalhador terá direito a 60% do valor da aposentadoria. Para ter direito ao valor integral, será preciso contribuir para o INSS por 40 anos.”  Veja as alterações:

  • 15 anos contribuindo: 60% do valor;
  • 20 anos contribuindo: 65% do valor;
  • 25 anos contribuindo: 70% do valor;
  • 30 anos contribuindo: 77,5% do valor;
  • 35 anos contribuindo: 87,5% do valor;
  • 40 anos contribuindo: 100% do valor.

Veja este exemplo: No caso da aposentadoria integral, um trabalhador tem direito a R$ 2.000. Se ele contribuiu ao longo de 25 anos, teria direito a receber 70% desse valor ao se aposentar, ou seja, R$ 1.400. Se contribuiu por 30 anos, teria direito a receber R$ 1.550. Se contribuiu por 35 anos, receberia R$ 1.750. Agora, ao contribuir por 40 anos, teria direito ao valor completo de R$ 2.000.

Em qualquer caso, o trabalhador receberá pelo menos o salário mínimo ao se aposentar.

“O cálculo deixa de ser feito em cima da média dos 80% maiores salários desde 1994, e passa a se considerar todos os salários.”

— INSS

Em caso de dúvida, você pode entrar em contato com o INSS, pela Central de Atendimento, no número de telefone 135. O serviço atende de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Lembre-se, a aposentadoria é um direito do trabalhador, o dinheiro não é dado pelo governo, e sim um retorno do dinheiro que você mesmo investiu! Gostou de saber sobre as regras para a aposentadoria por idade? Deixe seu comentário!

Comments

comments

2 comentários em “Regras para a aposentadoria por idade: atualidades e reforma da previdência

  • 25 de janeiro de 2018 em 02:52
    Permalink

    Quem bom que se a regra mudar ao invés de se fazer o cálculo com a média dos 80% maiores salários , passa-se a fazer a média de 100% dos salários, ou seja, o MISERÁVEL do trabalhador privado vai receber MENOS ainda.
    Que bom! Peão tem é que morrer e nem aposentar … acho que seria melhor para o Governo.
    Aliás, um governo de um presidente satanista.

    Resposta
    • 7 de fevereiro de 2018 em 18:44
      Permalink

      É realmente lamentável, Thomas!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *