Insuficiência Renal: veja como o problema se desencadeia!

O que é insuficiência renal?

Insuficiência renal é uma função deficiente dos rins, que pode ocorrer devido a uma redução no fluxo sanguíneo para estes órgãos, causada pela doença obstrutiva das artérias renais. Normalmente, os rins regulam o fluido corporal e a pressão sanguínea, bem como regulam a química do sangue e removem os resíduos orgânicos. A função renal adequada pode ser interrompida, no entanto, quando as artérias que fornecem sangue aos rins se estreitam, ocorre uma condição denominada de estenose da artéria renal.

De acordo com a ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), os próprios números podem indicar o quão alto é o nível de problemas nos rins, de acordo com a necessidade de transplantes. Veja abaixo a quantidade de procedimentos feitos em 2017, em alguns dos principais hospitais de São Paulo:

Insuficiência renal
Transplantes de rim em São Paulo, 2017 – ABTO.

Para saber dados do transplante de rins em outras regiões, ou sobre outros transplantes, você pode acessar este arquivo da ABTO, clicando aqui.

Sintomas da insuficiência renal

Alguns pacientes com insuficiência renal não apresentam sintomas ou demonstram apenas sinais leves, já em outros casos, os enfermos desenvolvem pressão perigosamente alta, além é claro, do mal funcionamento dos rins.

Fatores de risco

  • idosos;
  • histórico familiar;
  • raça ou etnia;
  • fatores genéticos;
  • hiperlipidemia (gorduras elevadas no sangue);
  • hipertensão (pressão alta);
  • fumo;
  • diabetes;
  • obesidade;
  • pacientes conhecidos por apresentar aterosclerose, com diagnóstico de doença arterial coronariana ou doença arterial periférica, apresentam maior risco de insuficiência renal.

Diagnóstico

A doença arterial renal geralmente pode ser diagnosticada por meio de ultrassonografia duplex e outros testes não invasivos. Estes incluem angiografia por TC (tomografia computadorizada) e angiografia por RM (ressonância magnética). No entanto, o teste definitivo é a angiografia contrastada, um teste que envolve a injeção de constraste. Se uma artéria renal severamente bloqueada for descoberta durante um angiograma, o tratamento para abrir a artéria pode ser realizado durante o mesmo procedimento.

Tratamento

Pacientes com insuficiência renal que apresentam sintomas leves ou moderados podem ser tratados com medicação e monitorados regularmente por meio de medição da pressão arterial e exames de sangue para monitorar a função dos rins.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, existem algumas recomendações gerais para o tratamento da insuficiência renal aguda. Observe:

Alterações na dieta

É importante uma restrição alimentar de líquidos, evitando bebidas açucaradas e gaseificadas, tendo como melhor opção para consumo a água. A meta é diminuir o acúmulo de toxinas e radicais livres, os quais geralmente são eliminados através dos rins.

Uma dieta pobre em proteínas, sal e potássio e rica em carboidratos é geralmente recomendada.

Medicamentos

Remédios antibióticos podem ser indicados para tratamento ou prevenção de todas as infecções as quais podem causar ou agravar a insuficiência renal. Alguns diuréticos são capazes de ajudar os rins à eliminar os líquidos indesejáveis. O cálcio e a insulina podem ser receitados, ajudando a evitar um acúmulo perigoso de potássio no sangue.

Diálise

Este método engloba o desvio sanguíneo para fora do corpo, em uma máquina que filtra os resíduos. O sangue limpo é então devolvido ao corpo. Se os níveis de potássio forem elevados, a diálise pode até mesmo salvar vidas.

O procedimento pode ser necessário, mas isso não se aplica a todos os casos. A diálise é mais indicada quando há alterações nas funções mentais ou quando o paciente para de urinar. Ela também pode ser necessária em processos de pericardite (inflamação no coração). A diálise também pode auxiliar na eliminação de resíduos de produtos à base de nitrogênio no corpo.

Insuficiência renal crônica

Em caso de estado ou sintomas graves, incluindo hipertensão renovascular, o objetivo principal objetivo do tratamento é controlar a pressão arterial, mantendo-a abaixo de 130/80 mmHg (ou 13/8), atrasando a maior parte dos danos desencadeados pela insuficiência renal crônica.

Outros tratamentos podem incluir:

  • medicamentos especiais utilizados para auxiliar no impedimento da elevação dos níveis de fósforo no sangue.;
  • tratamento para anemia, com adição de ferro ao cardápio, através de suplementos orais, injeção intravenosa (para suprir a necessidade dessa substância na corrente sanguínea) e transfusão de sangue;
  • suplementação de cálcio e vitamina D;
  • Alterações na rotina e nos hábitos diários e alimentares também devem ocorrer. Aliados ao tratamento médico, essas adaptações à atual condição são essenciais para garantir a qualidade de vida do paciente.
  • hemodiálise.

Sofre com a insuficiência renal? Conhece alguém que passa pelo problema? Como trata? Deixe seu comentário aqui e auxilie pessoas que podem estar passando pela mesma situação!

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *