Impressão digital pode mudar durante o envelhecimento

No mundo de hoje,  baladas, bancos, academias, planos de saúde, condomínios, celulares, universidades, dentre outros, utilizam a impressão digital como forma de acesso, por causa de sua singularidade e permanência. A singularidade, ou seja, o fato de ser única foi comprovado pela ciência, mas e a permanência? Será que a impressão digital pode mudar conforme a pessoa envelhece?

Base científica

Desde 1920 impressões digitais são aceitas em tribunais como evidências, já que são únicas, mas recentes pesquisas mostram que elas podem não ser mais as mesmas com o passar do tempo, o que poderia interferir nesses “acessos” citados acima.

As evidências sobre permanência da impressão digital humana são comprovadas em grande parte por análises feitas por Soweon Yoon e Anil Jain, que tinham a intenção de aprofundar informações relacionadas a isso.

Eles iniciaram examinando registros de 10 impressões digitais, geradas por 15.500 reincidentes num banco de dados da polícia de Michigan. O processo funciona mais ou menos desta forma: o detento mergulha seus 10 dedos na tinta, rolando cada dedo em um papel. Cada um dos criminosos analisados teve 5 ou mais registros, que abrangem de 5 a 12 anos, possibilitando o exame minucioso das alterações nas impressões digitais ao longo do tempo, pelos pesquisadores.

Estes pesquisadores estudaram as impressões através de duas máquinas de correspondência de impressão digital, buscando duas medidas de forma separada: o quão bem as máquinas emparelharam (colocavam em par) impressões diferentes da mesma pessoa e se eram capazes de diferenciar as impressões de uma pessoa de outra. Logo, para fazer a investigação de quais fatores influenciaram os julgamentos das máquinas, eles criaram um modelo estatístico, imitando a produção dos equipamentos. O modelo levou em consideração: tempo entre as impressões, qualidade da imagem da impressão, idade, sexo e raça do indivíduo.

Por que a impressão digital pode mudar com o tempo?

A idade da pessoa e o intervalo de tempo entre as impressões afetaram muito a precisão das máquinas. Os resultados de comparação de duas impressões de uma mesma pessoa diminuíram à medida que o intervalo entre as impressões cresceu, concluiu-se então que suas respectivas impressões digitais não eram mais iguais às feitas há 12 anos, registradas pelos equipamentos.

“No entanto, aos 12 anos (o mais longo que este estudo investigou), a taxa de erro ainda estava dentro das margens normais de erro para essas máquinas na vida real, a menos que uma das impressões fosse de má qualidade. E, independentemente da idade ou do tempo decorrido, as máquinas não confundiram as impressões de uma pessoa com outras pessoas – um tipo grande de coisa se você estiver julgando.”

— Proceedings of the National Academy of Sciences

Estas análises parecem apontar que sim, nossas impressões digitais podem se transformar ao longo do tempo, mas essas pequenas alterações não são suficientes para confundir máquinas em uso hoje, na sua maior parte. Mais pesquisas precisarão ser feitas para responder a questão de quantos anos devem decorrer entre as impressões para as máquinas perderem a partida. Para cientistas forenses, o estudo é certamente alimento para o pensamento, fazendo as pessoas questionarem.

O que pode ajudar na alteração da impressão digital?

digital-pode-mudar-crime
impressão digital pode mudar

1- Umidade

As digitais podem não ser identificadas se a pessoa estava em contato com água, como quando saiu do banho, de uma piscina ou sauna.

2- Deterioração

Pessoas que têm trabalhos pesados, que exigem muito esforço e contato das mãos com outros objetos podem ter a digital modificada, como pedreiros, faxineiros, carregadores, etc. Além disso, o tempo causa um desgaste natural, por isso muitos idosos têm problemas de identificação quando dependem deste tipo de sistema.

3- Produto Químico

Certos produtos químicos, até mesmo os utilizados em casa, podem causar um desgaste nas digitais, como: detergente, água sanitária, limpadores de vidro, lustra-móveis, cloro, tinta, resina, cimento, sabão em pó, etc.

4- Sujeira

Algumas pessoas deixam que a sujeira acumule nas cavidades das impressões digitais. Assim, quando necessitam da identificação por biometria, a digital não é reconhecida.

5- Ferida

Alguns processos alérgicos e cicatrizes na pele podem deixar muito difícil o reconhecimento da impressão digital, já que alteram o formato.

Você sabia que impressão digital pode mudar ao longo do tempo? Deixe seu comentário aqui no ABC da Mulher!

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *